Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos

PortuguêsEnglishFrançaisEspañolItaliano简体中文

NOTÍCIAS

Novembro 3rd, 2020

Empossados novos quadros no Sector das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos

João Machatine, Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos conferiu, na tarde desta terça-feira, 03 de Novembro de 2020, posse aos Senhores Paciência Romão Phiri Amade para o cargo de Directora Nacional do Gabinete Jurídico, Rogério Batine – Chefe do Gabinete do Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Stélio Manuel Joaquim Chire e Joaquim Amone Massango – Directores dos Serviços Centrais de Planificação e Desenvolvimento e de Administração e Finanças respectivamente, ambos do FIPAG.

O titular das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos lançou desafios a cada empossado devendo cada um olhar para a sua área com o dever de maior produtividade e garantia de um serviço de qualidade ao cidadão.

Os aspectos legais não devem constituir obstáculos para a mobilização de financiamento

Queremos que a empossada imprima celeridade nos processos que o sector nas suas várias áreas tem vindo a esboçar e capacidade de criatividade para encontrar soluções para o bem do Ministério, do Governo e das nossas populações. Estes desafios legais devem por outro lado ser capazes de reduzir obstáculos de financiamento das acções do sector por forma a garantir mais sustentabilidade e mais serviços próximos das nossas populações.

Trabalho em equipe e criatividade na prossecução dos processos

Desafiamos ao Chefe do Gabinete a modernizar a questão da circulação das informações, sobretudo do funcionamento da Secretaria e da gestão da agenda da Direcção do MOPHRH. Cuidar do património do Gabinete dos Recursos Humanos alocado devendo optar pela proatividade e criatividade na prossecução dos processos.

Área de planificação deve evitar a derrapagem da implementação dos Projectos

Ao Director dos Serviços Centrais de Planificação e Desenvolvimento do FIPAG, João Machatine referiu que FIPAG é uma marca deste país, é uma marca pelo serviço que tem prestado às nossas populações, pretendemos que haja muita flexibilidade nos processos de planificação, execução e monitoria, salientou ainda que não estamos a ser proativos no aproveitamento de várias janelas de financiamento devido a lentidão na implementação dos projectos, pois não estamos a fazer uma planificação efectiva. Devemos perder muito tempo na boa planificação para integrar todos os riscos que possam permitir a boa implementação dos projectos, por outro lado, desafiou o empossado a apostar não apenas na implementação, é preciso ter uma monitoria que permite garantir que aquilo que estamos a implemnetar esteja em bom curso e que nesta componente possamos determinar os sucessos ou não dos projectos. O ministro instigou ainda ao titular a mudar a abordagem da questão de execução dos projectos fora do prazo, pois a área de planificação é responsável por evitar a derrapagem da implementação dos projectos.

Prestação de contas deve ser uma cultura do FIPAG

Ao Director dos Serviços Centrais de Administração e Finanças, apelamos a pautar pela boa gestão financeira e a cultura da prestação de contas, pois FIPAG é um fundo com uma carteira enorme de financiamento. Queremos ver nos jornais os relatórios da prestação de contas do FIPAG, esta acção, sem se efectivar, motiva a perda de confiança por parte dos parceiros na alocação de fundos para novos projectos.