Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos

PortuguêsEnglishFrançaisEspañolItaliano简体中文

NOTÍCIAS

Dezembro 20th, 2021

𝗠𝗔𝗖𝗛𝗔𝗧𝗜𝗡𝗘 𝗜𝗡𝗔𝗨𝗚𝗨𝗥𝗔 𝗣𝗢𝗡𝗧𝗘 𝗦𝗢𝗕𝗥𝗘 𝗢 𝗥𝗜𝗢 𝗟𝗜𝗖𝗨𝗡𝗚𝗢

Moçambique é um país vulnerável às mudanças climáticas devido à sua localização geográfica, a gestão de riscos e redução dos impactos que estes eventos poderão causar, tem sido tema com prioridade do Governo. Depois de a população ter visto desabar pela fúria das águas das chuvas, nesta sexta-feira, 17 de Dezembro de 2021, João Machatine procedeu à entrega da Ponte sobre o Rio Licungo que liga o Posto Administrativo de Malei, em Namacurra e Maganja da Costa, na Zambézia.

A infra-estrutura é considerada âncora para a viabilização do desenvolvimento económico dos distritos de Maganja da Costa, Mocubela, Pebane, Alto Molocué e Gilé, incluindo Moma, em Nampula, pois, permite o escoamento dos produtos agrícolas, pesqueiros e florestais dos distritos costeiros da região norte de Zambézia, para os mercados de Quelimane, Nicoadala, bem como para outras províncias da região centro e sul do país, está orçada em cerca de 914 Milhões de Meticais, desembolsados através do Fundo de Estradas.

Durante a cerimónia de inauguração da ponte, cuja extensão é de 2 KM com 2 secções, ambas com 7.60m de largura, sendo a primeira de 108m e a segunda de 822m, o Ministro das Obras Públicas Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine destacou que a população da província da Zambézia sofria desde 2015, porque “𝘢 𝘣𝘳𝘶𝘵𝘢𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘰 𝘳𝘪𝘰 𝘓𝘪𝘤𝘶𝘯𝘨𝘰 𝘧𝘰𝘪 𝘥𝘦 𝘵𝘢𝘭 𝘰𝘳𝘥𝘦𝘮 𝘲𝘶𝘦 𝘰 𝘣𝘦𝘵ã𝘰 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘴𝘪𝘴𝘵𝘪𝘶. 𝘪𝘴𝘵𝘰 𝘧𝘪𝘤𝘰𝘶 𝘨𝘳𝘢𝘷𝘢𝘥𝘰 𝘦𝘮 𝘯𝘰𝘴𝘴𝘢𝘴 𝘮𝘦𝘮ó𝘳𝘪𝘢𝘴. 𝘛𝘦𝘯𝘥𝘰 𝘢𝘴𝘴𝘶𝘮𝘪𝘥𝘰 𝘦𝘴𝘵𝘢 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘴𝘰𝘣𝘳𝘦 𝘰 𝘤𝘰𝘮𝘢𝘯𝘥𝘰 𝘥𝘰 𝘗𝘳𝘦𝘴𝘪𝘥𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘥𝘢 𝘙𝘦𝘱ú𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢, 𝘯ã𝘰 𝘱𝘰𝘥í𝘢𝘮𝘰𝘴 𝘥𝘦 𝘢𝘭𝘨𝘶𝘮 𝘮𝘰𝘥𝘰 𝘧𝘪𝘤𝘢𝘳𝘮𝘰𝘴 𝘪𝘯𝘥𝘪𝘧𝘦𝘳𝘦𝘯𝘵𝘦𝘴, 𝘢𝘱𝘦𝘴𝘢𝘳 𝘥𝘦 𝘵𝘰𝘥𝘢𝘴 𝘢𝘴 𝘢𝘥𝘷𝘦𝘳𝘴𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦𝘴 𝘲𝘶𝘦 𝘰 𝘱𝘢í𝘴 𝘵𝘦𝘮 𝘦𝘴𝘵𝘢𝘥𝘰 𝘢 𝘢𝘴𝘴𝘪𝘴𝘵𝘪𝘳. 𝘗𝘰𝘳𝘲𝘶𝘦 𝘢𝘲𝘶𝘪𝘭𝘰 𝘲𝘶𝘦 𝘯𝘰𝘴 𝘮𝘰𝘷𝘦 𝘯𝘰 𝘯𝘰𝘴𝘴𝘰 𝘥𝘪𝘢-𝘢-𝘥𝘪𝘢 é 𝘷𝘦𝘳 𝘮𝘶𝘪𝘵𝘢 𝘢𝘭𝘦𝘨𝘳𝘪𝘢 𝘦𝘴𝘵𝘢𝘮𝘱𝘢𝘥𝘢 𝘯𝘰 𝘳𝘰𝘴𝘵𝘰 𝘥𝘢𝘴 𝘯𝘰𝘴𝘴𝘢𝘴 𝘱𝘰𝘱𝘶𝘭𝘢çõ𝘦𝘴”.

Com capacidade para suportar 48 toneladas de carga, a infra-estrutura vai reduzir as longas distâncias percorridas, onde antes eram cerca de quatro horas de tempo para chegar a Maganja da Costa, contra a actual uma hora e meia. As obras foram executadas pela empresa chinesa CRBC, a mesma que construiu a ponte Maputo-KaTembe.

Na ocasião, Machatine demostrou preocupação em relação ao empresariado Nacional por não terem estado à altura de cumprir com as exigências para execução da obra, numa altura em que o executivo está empenhado na promoção de conteúdo local, “𝘵𝘰𝘥𝘢𝘴 𝘦𝘮𝘱𝘳𝘦𝘴𝘢𝘴 𝘯𝘢𝘤𝘪𝘰𝘯𝘢𝘪𝘴 𝘧𝘰𝘳𝘢𝘮 𝘶𝘯â𝘯𝘪𝘮𝘦𝘴 𝘦𝘮 𝘥𝘪𝘻𝘦𝘳 𝘲𝘶𝘦 𝘯ã𝘰 𝘦𝘴𝘵𝘢𝘷𝘢𝘮 𝘦𝘮 𝘢𝘭𝘵𝘶𝘳𝘢 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘥𝘦𝘳 𝘢 𝘦𝘴𝘵𝘦 𝘥𝘦𝘴𝘢𝘧𝘪𝘰 𝘴𝘰𝘣𝘳𝘦 𝘵𝘶𝘥𝘰 𝘮𝘢𝘴 𝘤𝘰𝘯𝘥𝘪çõ𝘦𝘴 𝘤𝘰𝘭𝘰𝘤𝘢𝘥𝘢𝘴 𝘱𝘦𝘭𝘰 𝘨𝘰𝘷𝘦𝘳𝘯𝘰. 𝘢 𝘦𝘮𝘱𝘳𝘦𝘴𝘢 𝘊𝘙𝘉𝘊 𝘧𝘰𝘪 𝘢 ú𝘯𝘪𝘤𝘢 𝘲𝘶𝘦 𝘢𝘣𝘳𝘢ç𝘰𝘶 𝘦𝘴𝘵𝘦 𝘱𝘳𝘰𝘫𝘦𝘤𝘵𝘰 𝘥𝘦𝘯𝘵𝘳𝘰 𝘥𝘢𝘴 𝘯𝘰𝘴𝘴𝘢𝘴 𝘥𝘪𝘧𝘪𝘤𝘶𝘭𝘥𝘢𝘥𝘦𝘴. 𝘕ã𝘰 é 𝘯𝘰𝘳𝘮𝘢𝘭 𝘯ó𝘴 𝘧𝘢𝘻𝘦𝘳𝘮𝘰𝘴 𝘪𝘴𝘵𝘰 𝘱𝘰𝘳𝘲𝘶𝘦 𝘯ó𝘴 𝘱𝘢𝘨𝘢𝘮𝘰𝘴, 𝘮𝘢𝘴 𝘴𝘢𝘣𝘦𝘮𝘰𝘴 𝘰 𝘲𝘶ã𝘰 𝘧𝘰𝘪 𝘥𝘪𝘧í𝘤𝘪𝘭 𝘦𝘴𝘵𝘢 𝘯𝘦𝘨𝘰𝘤𝘪𝘢çã𝘰 𝘦 𝘰 𝘲𝘶𝘦 𝘢𝘪𝘯𝘥𝘢 𝘵𝘦𝘮𝘰𝘴 𝘱𝘦𝘭𝘢 𝘧𝘳𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘳𝘮𝘰𝘴 𝘴𝘢𝘶𝘥𝘢𝘳 𝘰𝘴 𝘯𝘰𝘴𝘴𝘰𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘱𝘳𝘰𝘮𝘪𝘴𝘴𝘰𝘴 𝘤𝘰𝘮 𝘦𝘴𝘵𝘢 𝘦𝘮𝘱𝘳𝘦𝘴𝘢”, revelou.