Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos

PortuguêsEnglishFrançaisEspañolItaliano简体中文

NOTÍCIAS

Maio 12th, 2022

𝗘𝗠 𝗖𝗜𝗡𝗖𝗢 𝗠𝗘𝗦𝗘𝗦 𝗘𝗦𝗧𝗔𝗥Á 𝗥𝗘𝗣𝗢𝗦𝗧𝗔 𝗔 𝗧𝗥𝗔𝗡𝗦𝗜𝗧𝗔𝗕𝗜𝗟𝗜𝗗𝗔𝗗𝗘 𝗦𝗢𝗕𝗥𝗘 𝗢 𝗥𝗜𝗢 𝗥𝗘𝗩Ú𝗕𝗨È

Circulação rodoviária sobre o rio Revúbuè, na província de Tete, será retomada em cinco meses, anunciou, sexta-feira, Cecília Chamutota, Vice-Ministra das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, durante visita a esta parcela do país.

Chamutota anunciou também a construção de uma ponte pedonal, paralelamente às obras de reabilitação da infra-estrutura derrubada em Janeiro aquando da ocorrência da depressão tropical Ana. Apontou que circulação de viaturas sobre o Revúbuè, que nasce em Angónia (Tete) e desagua no rio Zambeze, será garantida por uma ponte metálica cuja montagem já está em curso.

“Estamos aqui para dizer que as obras já iniciaram, o empreiteiro foi mobilizado, está no terreno e já começou a fazer o aterro que vai servir de suporte para todos os outros trabalhos que serão desenvolvidos”, garantiu Chamutota. Disse ainda que a infra-estrutura terá cerca de 120 metros de comprimento, estando a ser investidos três milhões de dólares (192 milhões de meticais), significando o fim do martírio que os moradores de uma e de outra margem do rio têm estado a viver ao recorrer à ponte Kassuende, a única via de ligação entre as cidades de Tete e Moatize.

“De novo, vai-se encurtar a distância porque tem havido muitos constrangimentos em termos de tráfego na única via disponível. A solução vai trazer impacto positivo na província de Tete”, congratulou-se a vice-ministra. Do ponto de vista arquitectónico, Cecília Chamutota garantiu que as pontes metálicas que têm sido adoptadas usam tecnologia robusta e já vêm com especificações que indicam de que forma devem ser implantadas. “Para o caso desta ponte, teremos três tramos, sendo dois nas extremidades, com 30 metros cada, e o tramo central, com 60 metros.

Mas também vamos ter de rever a capacidade dos pilares que ficaram, se terão capacidade para suportar a estrutura a ser colocada por cima”, disse Chamutota, prometendo medidas para garantir a durabilidade da infra-estrutura. “Vamos ter de colocar o limite de carga a transitar por cima da ponte para se poderem observar as questões de segurança, mas acredito que não haverá grandes problemas em termos de volume de carga que poderá passar pelo local”, sossegou, louvando a iniciativa do sector privado, que vai montar uma ponte pedonal sobre o rio Revúbuè. Trata-se de uma solução híbrida, tendo uma extensão de aterro e depois a própria ponte pedonal, num trabalho que está a ser coordenado pela Administração Nacional de Estradas (ANE), delegação de Tete.

“Queremos saudar a iniciativa das empresas Vale e Vulcan, que vão construir uma ponte pedonal para que dentro de pouco mais de um mês as pessoas possam atravessar a pé este troço. O investimento é totalmente privado e nós queremos saudar e incentivar este tipo de postura na solução dos problemas que nos afligem, tanto como moçambicanos e como Governo”, agradeceu a governante.