Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos

PortuguêsEnglishFrançaisEspañolItaliano简体中文

NOTÍCIAS

Maio 21st, 2022

Á𝗚𝗨𝗔 𝗖𝗔𝗡𝗔𝗟𝗜𝗭𝗔𝗗𝗔 𝗖𝗛𝗘𝗚𝗔 𝗔 𝗠𝗔𝗜𝗦 𝟭𝟴 𝗠𝗜𝗟 𝗖𝗢𝗡𝗦𝗨𝗠𝗜𝗗𝗢𝗥𝗘𝗦 𝗘𝗠 𝗦𝗢𝗙𝗔𝗟𝗔

Actualmente, um dos grandes desafios com que a população moçambicana tem se debatido, são os efeitos das mudanças climáticas, tais como inundações, secas e ciclones, que destroem as infraestruturas de Água, Saneamento e Higiene e afectam a sua sustentabilidade.

Sofala, devido à sua localização geográfica, tem sido uma das províncias que mais sofrem, por isso, continua a experimentar ciclos de desastres naturais, um factor que condiciona a prestação de serviços de água.

Ciente das dificuldades que as comunidades rurais enfrentam na busca do precioso líquido, na última Sexta-feira, 20 de Maio, o Governo procedeu à entrega dos sistemas de abastecimento de água de Nhamapaza e de Sena, no Posto Administrativo de Subué no Distrito de Marínguè e no Posto Administrativo de Sena, no Distrito de Marínguè, respectivamente, na província de Sofala, com vista a providenciar o bem-estar social.As duas infra-estruturas fazem parte do programa “Água para a Vida-PRAVIDA”, uma acção de Iniciativa Presidencial e totalmente financiado pelo Orçamento do Estado concebido com o objectivo de acelerar as acções do abastecimento de Água, Saneamento e Recursos Hídricos e vai beneficiar a cerca de 18.000 pessoas, sendo 12.000 em Sena e 6.000 em Nhamapaza, o que equivale a cerca de 70 por cento da população residente naquelas zonas.

Com a entrada em funcionamento deste sistema, cujo investimento foi de pouco mais de 19 milhões de meticais, os residentes de Caia e Marínguè deixarão de percorrer longas distâncias na busca de água para o seu consumo, o que representa mais rendimento para as famílias e mais dedicação a outras actividades como por exemplo à escola.

Na ocasião, o Ministro das Obras Públicas, habitação e Recursos Hídricos, Carlos Mesquita, disse que tem consciência dos grandes desafios ainda existentes, por forma a garantir que as futuras gerações possam ter um crescimento saudável, sendo que a falta de água contribui para muitas doenças hídricas e desnutrição crónica.“A fase I do PRAVIDA trouxe uma mudança substancial no modo de vida das pessoas. Isto nos encorajou e o Presidente da República tomou a decisão de avançarmos para a fase II do PRAVIDA, que é este que estamos a executar.

Concluída esta fase, ainda vão continuar desafios, por isso é que estamos a preparar a fase III, porque temos um compromisso com o Objectivo de Desenvolvimento Sustentável, que é para que, até 2030, termos uma cobertura total no abastecimento de água no país”, avançou.De realçar que, ainda no âmbito da iniciativa Presidencial denominada PRAVIDA, em Sofala, serão construídos nos próximos meses, 245 furos de água e reabilitados outros 85, todos equipados com bombas manuais.