Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos

PortuguêsEnglishFrançaisEspañolItaliano简体中文

NOTÍCIAS

Agosto 18th, 2020

OBRAS DE REABILITAÇÃO DA PONTE SOBRE O RIO REVUBOE PÓS CICLONE IDAI

TRABALHOS EXECUTADOS

Reposição dos danos causados pela enxurrada, visaram reforçar a estrutura da Ponte tornando-a

resiliente, de modo que em futuros eventos climatéricos de igual ou maior magnitude, não se

registem danos com destaque para:

1ª Fase:

Alinhametos de 3 pilares – P3, P4 e P5 que apresentavam maiores deficiências estruturais e a

reposição (provisória) de apoios através de macacos hidráulicos que permitiram o levantamento do

tabuleiro do 5º tramo e a abertura à circulação rodoviária de tráfego ligeiro com limite máximo de

peso de 3,5T e velocidade máxima de 20km/h.

2ª Fase:

• Substituição integral dos aparelhos de apoio fixos e móveis

• Colocação de novos elementos, os batentes transversais, que visam travar deslocamentos trans

versais dos tabuleiros, absorvendo os esforcos horizontais que possam ser resultantes da tor

rente de água do rio e transmitindo-os aos pilares que por sua vez garantirão a devida reação;

• Reperfilamento dos taludes dos encontros;

• Protecção do embasamento do pilar P1;

3ª Fase:

  • Reparação da plataforma, aplicação de novo revestimento betuminoso, execução de camas
  • Colocação de Juntas Estanques, que antes não existiam;
  • Selagem de fendas e fissuras com abertura significativa, detectadas nos encontros, acrotérios e alguns pilares;
  • Reparação do betão nas zonas de descasque e exposição de armaduras corroídas com recurso a argamassas de reparação: encontros, pilares, passeios e tabuleiro;
  • Aplicação de pintura de protecção nos acrotérios, muros de ala e consolas do tabuleiro;
  • Prolongamento dos tubos de drenagem da plataforma;
  • Pintura dos guarda-corpos em toda a sua extensão;
  • Sinalização horizontal e sinalização vertical.

IMPACTOS

  • Melhoramento na transitabilidade pelos utentes, entre os dois distritos Moatize-Tete e vice-versa;
  • Melhor preservação da ponte Samora Machel com o desvio do tráfego pesado das classes 3, Classe 4 e 5;
  • Descongestionamento da Cidade de Tete e da Ponte Samora Machel do tráfego pesado;
  • Está facilitada a ligação rodoviária entre as cidades de Tete e Moatize, incluindo a vilas fronteiriças de Zobwè e Ulongué, através da estrada N7, que antes era feita através da ponte Kassuende, evitando o incremento de 30 km de percurso;
  • Está facilitada a ligação rodoviária entre a cidade de Tete e a vila fronteiriça de Cassacatiza, através das estradas N7 e N9, bem como o tráfego internacional de e para a Zambia havia sido desviado para a ponte Samora Machel, aliviando a sobrecarga a esta estrutura e o congestionamento na Cidade de Tete, na ordem de um tráfego médio diário entre os 800 e 1.000 viaturas a mais;
  • Passam para a história os Transtornos nos transportes públicos pois os utentes eram forçados a descer dum carro, atravessar a Ponte a pé e apanhar outro carro noutra margem.
  • A PONTE VOLTA A FUNCIONAR EM PLENO RESPEITANDO OS LIMITES DE CARGA ESTABELECIDOS NA REGIÃO DA SADC (48 TONELADAS), OBSERVADOS OS LIMITES ADMISSÍVEIS POR EIXO OU GRUPO DE EIXOS.
  • Com a intervenção feita, está garantida a vida útil da ponte por mais 50 anos desde que se observe:
  • O respeito aos limites de carga estabelecidos;
  • A conservação da infraestrutura evitando vandalização dos seus elementos;
  • A condução com prudência em velocidade baixa evitando riscos de acidentes que possam resultar em perdas de vida e danos nos grarda-corpos e outros elementos estruturais;
  • Inspecções regulares e manutenção de rotina.